30.6.03

WHAT YOU'LL LEARN AFTER READING HARRY POTTER
Um indiano que afirma se sustentar só com líquidos ocasionais e luz do Sol foi convidado pela Nasa a mostrar como isso acontece. Ano passado, cientistas da agência verificaram que ele passou 130 dias ingerindo apenas água.
Harry Potter em Calcutá, Porri Gatter e o Filósofo de Pedra e Tanya Grotter e o Contrabaixo Mágico são algumas das cópias e versões do Harry Potter que os tratados internacionais de direitos autorais estão enterrando.
Have you ever wondered why TV interviews of authors tend to be so lame?

29.6.03

Dia de Gibi Novo: Orbiter

Escrito por Warren Ellis e ilustrado por Colleen Doran, Orbiter é algo que eu não via há algum tempo: uma graphic novel original de mais de cem páginas - em oposição às coleções de histórias muito mais comuns (os trade paperbacks).

Orbiter conta a história do Venture, um ônibus espacial que retorna à Terra depois de dez anos desaparecido. Mais que isso: a nave volta cheia de modificações e com apenas um dos seus sete tripulantes. O desaparecimento da Venture causou o fim do envio de astronautas ao espaço, resumindo o programa espacial americano - o único além do Russo que já teve alguma graça - ao lançamento de satélites. A história mostra o que estamos perdendo com o fim dos vôos tripulados e a importância disso para o imaginário humano.

O volume é a - merecida - formatura de Ellis, marcando sua passagem para o mainstream da cultura pop, com uma obra que não faz feio perto da melhor ficção científica que anda por aí hoje. Além de evitar os vícios do autor, Orbiter consegue explorar idéias sem soar como pregação. Os desenhos de Doran - de quem nunca gostei muito - estão perfeitos para a história, mostrando tão bem as expressões dos personagens quanto os cenários terrestres e espaciais.
Turns of Phrase: Café Scientifique

It sounds a dauntingly highbrow term, but the intention is just the opposite - to demystify science and help people engage with it. The technique is based on the discussion of topical scientific ideas with interested people in determinedly non-academic surroundings. The Cafés sum up their intentions with a maxim, too long to be considered a slogan, "We want people to be as opinionated about science as they are about football". Informal meetings are usually held in cafés or bars; a guest speaker talks briefly on a topic and then leads a discussion. The first Caf? Scientifique was held in Leeds in 1998; its name was invented by the man who started it, Duncan Dallas. "I was reading the paper's obituary of Marc Sautet, the man who founded the cafés philosophiques in France," he recalls, "and I thought 'I'd like to do that'. But the British don't think philosophy is a real subject, so I opted for science instead." The scheme has extended with the help of funding from the Wellcome Trust from 2001 onwards. Most Cafés are in university towns and cities - the fifteenth, in Bristol, was inaugurated in April 2003.
Michael Quinion, do World Wide Words, a coisa que mais gosto de receber por e-mail depois das mensagens pessoais e do Bad Signal.
Ainda não é hora de divulgar o endereço, mas eu e uns amigos estamos começando um blog novo. Num estilo bem diferente dos que eu já tenho.

28.6.03

OK, I thought, all very fascinating and enlightening, but were my friends a representative bunch, or just a self-selecting group of middle-class neo-bohos? Further investigation revealed to me that my friends and I were not alone; that Internet-porn addiction is a burgeoning problem for men in the West (as is suggested by all those recent celebrity arrests).

Não vale a pena falar sobre os filmes de hoje. Antes, repete-se o hype, depois, esquece-se o filme. E Geoff Pevere coloca a culpa nos filmes e multiplexes. Eu colocaria a culpa na redução dos cadernops de cultura nos jornais, no domínio deles pelas assessorias de imprensa e o envelhecimento do próprio autor e seu círculo de convivência.

Ele precisa ler mais blogs.
Paulo Roberto Pires faz uma análise interessante dos blogs, usando Walter Banjamin como ferramenta.
A Princesa Diana vai voltar dos mortos em uma história de X-Statix, um dos muitos títulos relacionados aos X-Men. Mesmo sabendo que tem gente que não gostou, Peter Milligan explica sua idéia.

É engraçado que as pessoas realmente se ofendam com alguém "tentando lucrar" com a imagem de Diana. A princesa foi uma das celebridades mais exploradas pelos ingleses desde os Beatles. E, de qualquer modo, referências mais ofensivas foram feitas a ela e à família real em Invisibles.

27.6.03

Hoje eu fui no jornal acertar umas matérias e pegar as porcarias que as editoras manda para mim (isso vai ser tema de uma matéria, aliás). Aproveitei e peguei uns cds, para comentar para o Dez e o Caderno 2. Bandas que eu nunca tinha ouvido falar, aliás (The Music, Medicine e Futureshock). O disco do Futureshock não é um cd de verdade, mas um com controle de cópias.

Ele só roda do meu pc se eu instalar um programa especial, coisa que não vou fazer. Além disso, o texto do verso diz que o formato "impede os consumidores de fazer cópias digitais". Se eu que escrevesse isso, ia dizer que o formato "impede que piratas prejudiquem os artistas, prevenindo cópias não-autorizadas". A diferença é sutil, mas importante.

Vou descobrir como tocar esse negócio no computador e aproveitar para ripar o disco - coisa que normalmente não faço pela preguiça. Esse método é interessante, mas tenho minhas dúvidas.
O Bloget - serviço que permitia ás pessoas receber os posts do blog por e-mail - nunca funcionou muito bem, "esquecendo" de enviar as mensagens por cários dias. Há alguns meses, ele parou de funcionar totalmente.

Aproveitando a nova ferramenta do Blogger, criei um grupo para substituir o serviço. Quem se inscrever, receberá apenas os posts deste blog em um único e-mail por dia (o padrão da lista é o boletim diário, mas quem quiser receber as mensagens individualmente pode fazê-lo).

Para se inscrever, envie uma mensagem para leitura_do_dia-subscribe@yahoogroups.com ou se inscreva por aqui.
Finalmente Neil Gaiman e a Marvel divulgaram qual é a de 1602: uma transposição do universo da editora para a época. Eles fazem questão de dizer que não é um Elseworld - selo da DC que que trata de transposições semelhantes - mas que há uma conexão com o universo de verdade.
Para comemorar que (quase) tudo está funcionando, 21+1 dicas para um blog melhor.

26.6.03

A RIAA quer processar os usuários que trocam músicas pela rede. Dizem eles que vão começar pelos que têm grandes quantidades. Mas a associação não vai definir "grandes quantidades" - a idéia é assustar todo mundo para não ter trabalho.

Cretinos.
Domo-kun is a small brown open-mouthed monster hatched from an egg who lives with a wise old rabbit underground. He really, really likes TV and also enjoys rocking out to Guitar Wolf. Domo-kun is the mascot of NHK's BS2 (a satellite channel; he also appears on BS1). NHK has been producing a series of Domo-kun stop-motion vignettes that exude personal charm and warmth. There is also a wide variety of Domo-kun-related merchandise available, some of which is difficult/impossible to find in the US.
Raciocinar é difícil.
As pessoas chegaram aqui procurando por
pornorgrafia; Warren Ellis; fotos de gibi do super-homem não sendo da vida real; leituras; leitura e escrita como experiencia; violent sex; perec sebo vida; TRANSITO PLACAS; Humus compro; elegante magra emagrecer; placas de wolverine; Sandman +"Neil Gaiman" +Douglas Rushkoff; S?nia Bibe Luiten; william faulkner resumo; great gatsby; resenha daniel galera; vogler

25.6.03

Parece que não serve para nada, mas é bem legal. Cem imagens aleatórias selecionadas pelo Altavista, mudando a cada vez que as páginas são carregadas. Quem está no trabalho está avisado que haverá pornografia no meio delas.
Por conta de umas idéias que tive para ficção, ando lendo as notícias do CMI Brasil. Algumas coisas interessantes, umas poucas importantes. Toda vez que vou lá, fico impressionado com o quanto os textos são confusos e misturam instâncias diferentes.

Este texto - que fala da oferta do audio de certos programas da Globo para as rádios comunitárias - é um exemplo. Coloca-se na mesma sopa a qualidade da programação, a traição do movimento, as mentiras da emissora em outros momentos... Isso tudo quando o importante é alertar para a tentativa de esvaziar as rádios, fornecendo uma programação de qualidade técnica superior.

Assim, fica difícil convencer os que não são fiéis. O pior é que esse problema é constante. Na busca pela "autenticidade", o poder argumentativo desce pelo ralo. Isso sem falar no vocabulário, que evoca imediatamente idéias mais apropriada a outro momento histórico e cria resistências imediatas.
Na edição passada. a Wired publicou uma coleção de textos sobre tendências econômicas, tecnológicas, sociais e culturais organizados sob a égide de espaços. A metágora é ampla o suficiente para se adaptar sem problemas tanto ao espaço entre os planetas quanto ao pouco espaço dentro de um roupa de proteção contra armas químicas.
Armas para os oprimidos!

24.6.03

Tem Coisas que só a Internet faz pra Você

Este site mapeia em tempo real os posts nos blogs ao redor do mundo. Além de colocar um pontinho no mapa, ele mostra o início do texto. Uma das coisas mais impressionantes que já vi na rede.
Joe Sacco é um jornalista que viaja até zonas de conflito - a Palestina, a Bósnia - e faz documentários sobre os seus habitantes. Cartunista, seus documentários são em quadrinhos. Nesta entrevista, ele explica melhor porque e como faz isso.
We denizens of the early 21st century cling to a leftover notion that anything "global" is remote, abstract. That's no longer true. A global problem is everyone's problem, often in intimate ways.
Na eterna busca por novas formas de prooção, as empresas estão lançando mão dos blogs. A questão é se blogs mantidos por CEOs - ou por seus assistentes dizendo ser o CEO - pode ter a mesma credibilidade dos blogs "de verdade".

(Se você não é cadastrado no New York Times use leituras como usuário e dodia como senha)
Who will gonna call?

Hillary Clinton lançou recentemente um livro de memórias - a pedra fundamental da campanha à presidência americana em 2008. Claro que não foi ela que escreveu, mas ghostwriters.

22.6.03

Talvez Raduan Nassar tenha desejado nos colocar diante de uma verdade brutal: a de que, no mundo de hoje, o escritor (ou sua assinatura) vale mais do que aquilo que ele escreve. Fala-se num inédito de Raduan, ou de Rosa, ou de Joyce, como se estivéssemos falando num novo modelo de freezer, ou de microcomputador. Fala-se, mas não se lê. Ou pouco se lê. A obra se torna quase dispensável, de tal modo desaparece sob a grife cintilante, que toma seu lugar e a substitui. É mais importante ter um Rosa autografado do que ler Rosa. Nesse momento, a literatura ficou para trás, perdeu toda a importância
(Roubado do Gorgomilhos e Perdigotos)
Investigando o autismo, um cientista australiano esbarrou com uma coisa muito interessante. Ao desligar certas partes do cérebro usando um gerador de ondas eletromagnéticas, pacientes sem a disfunção desenvolvem habilidades específicas - como Dustin Hoffman em Rain Man.

(Se você não é cadastrado no New York Times use leituras como usuário e dodia como senha).

21.6.03

Personagens dos quadrinhos e desenhos animados são cada vez mais comuns na arte contemporânea. O fenômeno é considerado positivo, por aproximar o público da arte. Alguns curadores acreditam que a aproximação é causada pela natureza inofensiva dos personagens - e das artes onde eles aparecem. Eu desconfio que a questão está mais em torno de um universo de referências comum, como diz um dos entrevistados na matéria.
Michael Moorcock examina os poderes precognitivos da ficção científica.
O No Mínimo tem uma nova coluna, a Rato de Livraria, sobre literatura.
Eu já li Sandman, The Invisibles, Transmetropolitan e Preacher - os opi de Gaiman, Morrison, Ellis e Ennis. Agora, estou dando continuidade à leitura de Shade, The Changing Man, a montanha escrita por Peter Milligan durante os anos 90.

20.6.03

O quinto Harry Potter chega às livrarias inglesas e americanas amanhã. Este texto - elogioso ao extremo - afirma que os livros com o personagem continuarão sendo lidos daqui há um século. É chato admitir, mas ele provavelmente tem razão.
That's not to say that Hulk—or the $150 million blockbuster built around him—isn't a fascinating piece of work. I couldn't take my eyes off it. As the heroine of Ghost World (2001) might put it, it's often so bad it's almost good, but then it's so bad it goes past good and back to bad again.
Simulaçõe eletrônicas interativas - também conhecidas como "videogames" - podem ser utilizadas paara prever os resultados dos esforços americanos de "reconstrução" do Iraque, além de prever crises e testar possibilidades em outros cenários. Isso foi feito na Bósnia, mas os militares e políticos parecem ter esquecido.

O texto faz parte de uma série muito boa que explora idéias para o país depois da queda de Saddam.
As pessoas chegaram aqui procurando por
leituras do dia; transmetropolitan; leituras; sex disney pocahontas; sebo dc comics; daniel galera; gibi; livro das cousas que acontecem; placas de trânsito; frases loucas; link de blog; warren ellis; livros; comentários; x-men

18.6.03

O último país do mundo a ter televisão foi o Butão, em 1999. Um lugar pacífico, o país começou a experiementar crimes e hábitos ocidentais. Toda vez que uma cultura isolocionista se bate de frente com outra, a primeira tende a desaparecer. As modificações culturais impostas pelos meios de comunicação encontram uma ambiente propício, já que os invadidos não têm na resistência ao outro um critério de formação de identidade.

17.6.03

Hoje é Bloomsday! Há alguns anos eu quero organizar algum evento no dia, msa eu sempre me lembro tarde demais. Algum fã de Joyce por aí quer fazer algo no próximo?
The virus as a metaphor infected our popular culture long before SARS and mad cow hit the headlines. But this time there is no cure, writes LIAM LACEY
Este link vai especialmente para Leila, que adora metáforas biológicas tortas.
Tenho pensado um tanto sobre o anti-intelectualismo - inclusive como tema para um mestrado. E este artigo é uma pérola do assunto. O autor - claramente de direita - tenta igualar inteligencia à indecisão, imoralidade e reduzí-la à burrice. E, ao mesmo tempo, mostrar como não ser inteligente - ou intelectual - garantiria o inverso.

16.6.03

Um resumo bastante esclarecedor de The Matrix Reloaded.
Os dez heróis asiáticos mais legais.
A Superinteressante deste mês (a com sexo na capa) traz uma matéria sobre videogames. O título é Armas de Diversão em Massa, título chupado desta matéria da Salon. Mó feio.
John Warner dá dicas para escrever melhor no McSweeney's.
No decorrer da semana, encontrei essas entrevistas com pessoas que trabalham (ou trabalharam com quadrinhos): Matt Fraction, Keith Knight e Jules Feiffer. Agora que eu coloco os três juntos, percebo que todos têm uma queda para a esquerda.

14.6.03

A Fantagraphics é uma editora americana que publica quadrinhos de autor - e dos melhores, aliás. Por conta de um calote, a editora entrou num buraco financeiro e pediu ajuda para a comunidade de leitores de quadrinhos, tentando vender um volume extra suficiente para saldar as dívidas. Funcionou, mas tem gente que não gostou.
Sabe por que os judeus não plantam? Porque são mais espertos e educados que os outros (ou pelo menos eram). A razão é econômica, claro - como quase tudo na vida, pelo jeito.

Verão na Ásia

12.6.03

Grant Stoddard, heróis da ciência, experimenta sexo sob os efeitos de cinco drogas num período de três dias.
O Guardian publicou uma matéria muito boa sobre a vida cultural brasileira. Quer dizer, "paulistana".

11.6.03

O Guardian publicou uma matéria muito boa sobre a vida cultural brasileira. Quer dizer, "paulistana".
The mother of the dead child, Lettie Goitsimang Tukane (34), told City Press the baboon sank its powerful canines into the skull of her three-month-old son, removed the brain, climbed up a high telephone pole and ate the brain before fleeing into nearby bush.
Muita gente está linkando para esta comparação entre The Matrix e Dark City - que diz que o primeiro é uma cópia do segundo. De fato, os dois se parecem muito, o que era de se esperar, já que ambos se apropriam descaradamente de todos os clichês dos filmes noir. Além disso, nem a pau que um filme como Matrix demora só um ano da concepção às telas.

10.6.03

Misreadings

Em vez de não existem mais relatos sobre monstros marinhos eu li não existem mais relatos sobre monstros murilinhos.
Estou com uma vontade louca de criar um blog para colocar aquelas frases loucas que passam por minha cabeça. Acho que vou dormir até passar: sei que esse blog não ia me fazer nada bem socialmente.
Richard Kadrey relembra os velhos tempos, quando o céu era azul e as casas podiam ter insolações e melanomas.
The only slight problem is that, despite what some commentators would have you believe, bloggers are not the scourge of the internet. In fact they are the internet. The whole point of the web was to allow anyone, regardless of budget or influence, to share information with the rest of the world. It certainly wasn't supposed to be a giant electronic shopping mall or an interactive brand extension for major broadcasters and publishers.
Um casal de cientistas americanos confeccionou o menor livro do mundo: uma cópia do Novo Testamento. O livro é tão minúsculo que cabe na borracha de um lápis.

(Se você não é cadastrado no New York Times, use leituras como usuário e dodia como senha.)
O Fotolog restringiu o número de fotos que podem ser postadas diariamente, assim como os comentários. A culpa, segundo eles, é dos brasileiros. Mais que a xenofobia dos comentários, o que me impressiona é o é a prescrição do que é e do que não é um uso válido do serviço.

9.6.03

Mesmo que feios e politicamente corretos afirmem que a beleza é estritamente uma construção social, parece que há princípios biológicos fortes nas bases. Se pensarmos assim, a indústria da beleza não lida só com a vaidade, mas com algo muito mais profundo: a possibilidade do indivíduo ser aquilo que deseja.
Dia de Gibi Novo: The Legion 1-4, New X-Men 142 e Global Frequency 8

The Legion é a última versão de Legion of Superheroes, um dos grupos de heróis mais influentes de todos os tempos, apesar de quase desconhecido por esses dias. A Legião é uma equipe no futuro - sempre mil anos distante da data de publicação - formada por seres super-poderosos de vários planetas. Foi nela que Len Wein se inspirou ao criar a versão "nações unidas" dos X-Men, que é o modelo de quase toda super-equipe até hoje.

Sempre achei a idéia do título muito boa, mas nunca consegui achar as histórias satisfatórias. O futuro deles sempre me pareceu demais preso ao presente, inclusive ás histórias do Universo DC normal. A nova versão - o quinto volume da série - continua com esses problemas. Além disso, a ação e os personagens não têm lá muita graça também. Tão tedioso que nem vou baixar o resto.

New X-Men 142 traz Chris Bachalo ilustrando uma história do meu tipo preferido: diálogos em lugar de ação. Depois dos eventos ligados á morte de Emma Frost, Cyclops foge da Escola Xavier, indo dar umas voltas no Clube do Inferno. Lá, tentando se embebedar com champagne, o mariquinha encontra Dentes de Sabre e Wolverine. O ponto alto da edição é o encontro de Logan e Creed nos mictórios do Clube, com Creed comentando as habilidades de Logan enquanto urina. É bom saber que ainda devem ter umas vinte histórias do Morrison antes dele abandonar o título.

Se você vem nesse blog com alguma regularidade, já sabe o que é Global Frequency. No oitavo número da série, ilustrado por Chris Sprouse, a coordenadora da equipe é sequestrada e será morta em uma hora a não ser que os seus asseclas consigam encontrá-la. A busca é impressionante e muito realista. Estranhamente, a história de Ellis parece muito mais com ficção científica que as Legion
letter.jpg
Power blogger, you are a voice to be heard! Your blog attracts a lot of attention, for whatever reason that is. You are a master of your page and writing is in your blood!


What kind of blogger am I?

8.6.03

Num futuro próximo, as novelas da televisão devem acabar. A culpa não vai ser do bom senso da audiência - que finalmente perceberia que elas são todas iguais - mas da televisão digital, que pulveriza horários, desfaz a experiência comunal vital para a publicidade e torna o investimento sem justificativas.

5.6.03

Thanks to several open-source projects, you can build your own digital video recorder that will blow boxes from TiVo and ReplayTV right off the shelf.